top of page
Logo Sarau Cultura Brasileira
Portátil

'Portátil’ é, para os integrantes do Porta dos Fundos, um lugar de invenção, de desdobramento, desenvolvimento dos atores e cumplicidade com a plateia. Para os espectadores, é possível testemunhar, ao vivo, o processo criativo do grupo de humor, e para os atores, o espetáculo trabalha a química, a cumplicidade, a generosidade e o brainstorming de ideias.

Com os poucos dados que a pessoa escolhida na plateia fornece aos atores, além de uma trilha sonora composta no momento, o elenco cria uma narrativa própria que percorre as memórias do entrevistado. No final, o resultado é um espetáculo orgânico, diversificado, que passeia por diversos personagens, épocas e lugares, a fim de contar a história de uma pessoa.

Em 2015, ‘Portátil’ viajou pelo Brasil, esteve em temporada no Rio (Teatro do Leblon) e passou por algumas cidades de Portugal. Em 2016 fez uma temporada em SP (Teatro J.Safra) e outra no RJ (Teatro dos Quatro) e esteve em algumas cidades portuguesas.

Já pensou que a sua vida daria uma peça?

Portátil

Um espetáculo de improvisação em formato longo com os atores Gregório Duvivier, João Vicente de Castro, Gustavo Miranda, Luciana Paes e o músico Andres Giraldo. Cada espetáculo parte de uma entrevista com a plateia que dá origem a uma peça inteiramente improvisada, com início, meio e fim.
Redes sociais
Portátil

Informações do projeto

Tempo em cartaz: 8 anos 
Número de apresentações: 240
Cidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Lisboa, Coimbra, Castelo Branco, Porto, Braga, Leiria, Aveiro e Guimarães 

Ficha técnica

Concepção criativa: Barbara Duvivier, Gregório Duvivier e João Vicente de Castro 
Com: Gregório Duvivier, João Vicente de Castro, Gustavo Miranda e Luciana Paes 
Músico: Andrés Giraldo  
Direção: Barbara Duvivier 
Figurino: Gilda Midani  
Cenário: Gigi Barreto  
Iluminação: Felipe Lourenço  
Operador de som: Jorge Baptista 
Supervisão artística: Gustavo Miranda 
 
Equipe Sarau: 
Diretora de criação: Andréa Alves  
Diretora de projetos: Leila Maria Moreno 
Coordenação de produção: Rafael Lydio   


Por ser um espetáculo de improvisação feito a partir da história de alguém da plateia, cada apresentação é, obrigatoriamente, diferente.

Conheça outros projetos

bottom of page